O Boiadeiro e o Berrante
866 visualizações
Afinação: Cebolão em Mi
Afinação: Ritmo: Toada
Corrigir

aperte Esc para fechar
Espaço para play/pause

Tom: B

 E|-----------------------------------------------------10----9----7----5--0-2-3-4--
 B|---------------------------------------------------------------------------------
G#|------------------3-2---------2---2-3-5-5/12-10---10-----8----7----5----0-1-2-3--
 E|--------------2-4-4-2---2-4-5---4------------------------------------------------
 B|--0-2-3-4-3-4--------------------------------------------------------------------

 E|----------------------7--- 
 B|----------------------7---
G#|----------------------7---
 E|----0-1-2------0------7---
 B|--4-------0--2---4-2--7---

 B                                                                       F#7 
Olha seu moço meu berrante pendurado, todo sujo empoeirado na parede do porão
     C#m                   F#7                                              B 
Há muito tempo eu ali dependurei, nele nunca mais toquei pra não chorar de paixão
            B7                      E                      B7                      E 
Também meu peito já não tem força bastante pra repicar o berrante e amenizar minha dor
          F#7                   B                  F#7                         B 
De uma saudade das estradas e poeira de uma vida boiadeira que pra mim já se acabou

         F#7            B              F#7           E      B 
Porque saudade machuca tanto, nem do meu pranto você não tem dó
        F#7        B                F#                   B 
E como dói, é torturante ver meu berrante todo coberto de pó 

Introdução

 B                                                                             F#7 
Olha seu moço como dói meu coração ver a minha profissão que não tem mais serventia
       C#m                     F#7                                       B 
Porque agora se transporta uma boiada numa gaiola fechada em modernas rodovias
          B7                       E                    B7                     E 
Não tem poeira, não tem grito de peão, não se ouve no sertão um berrante em surdina
          F#7                        B                    F#7                B 
Por isso sinto no meu peito a grande dor o progresso me forçou a mudar minha sina

         F#7            B              F#7           E      B 
Porque saudade machuca tanto, nem do meu pranto você não tem dó
        F#7        B                F#                   B 
E como dói, é torturante ver meu berrante todo coberto de pó 

Introdução

 B                                                                              F#7 
Olha seu moço meu berrante no abandono, parece que não tem dono o seu toque emudeceu
          C#m                       F#7                                               B 
Quando lhe vejo os meus olhos enchem d’agua remoendo minhas mágoas me pergunto quem sou eu
         B7                 E                        B7                        E 
Eu sou aquele um antigo boiadeiro, um velho peão estradeiro sem cavalo e sem boiada
           F#7                    B                      F#7                     B 
Que ainda guarda um berrante pendurado como um troféu polvilhado de poeira das estradas

         F#7            B              F#7           E      B 
Porque saudade machuca tanto, nem do meu pranto você não tem dó
        F#7        B                F#                   B 
E como dói, é torturante ver meu berrante todo coberto de pó 

mande seu vídeo tocando #aprendinocifrasdeviola

Grave um vídeo tocando "O Boiadeiro e o Berrante", poste no Youtube e envie o link pra gente! Você aparecerá aqui mostrando seu talento.

Envie seu vídeo
o que achou da música?
comentários

Faltam caracteres

Obs: Seu comentario está sujeito à aprovação.

Faltam caracteres

Ajude o CifrasdeViola a permanecer no ar:
Mostrar Acordes