Moenda da Usina
1.825 visualizações
Afinação: Cebolão em Ré
Afinação: Ritmo: Guarânia
Corrigir

aperte Esc para fechar
Espaço para play/pause

Tom: A

 D|-----------11--9----11/12-|---------6-9-4-6-7-7-7---7-|
 A|--------12-12-11-12-12/14-|-------7-7-7-5-7-9-9-9-9-7-|
F#|-----10-------------------|-8-8-8-8---------------8-7-|
 D|-/11----------------------|-9-9-9---------------------|
 A|--------------------------|---------------------------|

 D|-----------11--9----11/12-12-12-11--9--9-7-6-6/7/6---------------|-----------|
 A|--------12-12-11-12-12/14-14-14-12-11-11-9-7-7/9/7-9-7h9p7-7-----|-----------|
F#|-----10--------------------------------------------8-7h8p7-7-8-7-|-2-2-2-3-5-|
 D|-/11---------------------------------------------------------9-7-|-2-2-2-4-6-|
 A|-----------------------------------------------------------------|-----------|

 A                                       F#             Bm 
Sentindo saudade da roça, terra que era nossa resolvi rever
  E7                                                                 A 
A tempos que eu não voltava, ao lugar que eu morava e que me viu crescer
                                                         E7 
Andar pelas verdes campinas, e a agua da minha de novo beber
 D                         A                               E7 
Mas confesso quando lá cheguei, ao lugar que a infância passei
       D        E7   A 
Quase não pude reconhecer

 D|---------------------|
 A|-2-4-2---------------|
F#|-2-3-2-3-2-0-----2/7-| Riff 1
 D|-------4-2-0-2-0-2/7-|
 A|-------------4-2-----|

 A                                         F#           Bm 
Não havia mais os arvoredos, cheguei a ter medo da evolução
     E7                                                       A 
A paineira de tronco frondoso, estava em repouso de baixo do chão
                                                           E7 
Rego d’água movia o monjolo, secou o seu solo com a devastação
      D                  A                        E7 
E a madeira dos nosso currais, com o fogo dos canaviais
      D     E7       A 
Só ficaram cinza e carvão

Introdução 

 A                                            F#            Bm 
Nossa casa meu primeiro abrigo, talvez por castigo nessa solidão
    E7                                            A 
A varanda tinha desabado, somente ficou de pé o salão
                                                               E7 
Quando entrei pisando no entulho, talvez por orgulho do meu coração
      D                    A                            E7 
Encontrei um quadro sem moldura, lá no prego da parede escura
        D       E7     A 
Com a fumaça do velho fogão

Riff 1

 A                                       F#             Bm 
Com meu lenço tirei a poeira, então a primeira imagem surgiu
      E7                                                     A 
Era a foto daquela fazenda, que hoje as moendas da usina engoliu
                                                        E7 
E na sombra da velha paineira, boiada carreira na foto saiu
       D                   A                              E7 
Vi meu pai com seu cavalo branco, na verdade confesso sou franco
       D       E7      A 
Nessa hora meu pranto caiu

Passagem: A G# A C

    B                                      G#                  C#m 
Apertando no peito o retrato, pressenti de fato meu pai e meus irmãos
     F#7                                                   B
Ouvi passos pelo assoalho, e o cheiro do alho invadiu o casarão
                                                          F#7 
Pois mamãe fazia na cozinha, arroz com galinha verdura e feijão
    E                 B                         F#7 
E a maninha com delicadeza, colocava o forro na mesa
        E     F#7       B 
Pra servir a nossa refeição

 D|-----------------|
 A|-6-4-6-4---------|
F#|-5-4-5-4---5-4---|
 D|-----------6-4-4-|
 A|---------------6-|

    B                            G#            C#m 
Parecia tudo real, que até senti mal de tanta emoção
    F#7                                              B
Resolvi deli me retirar e de volta pegar o velho estradão
                                                        F#7 
E levando somente comigo, este quadro antigo pra restauração
       E                   B                       F#7 
Muito triste voltei pra cidade, mas voltando a realidade
            E      F#7       B 
Sei que os tempos jamais voltarão

Colaboração: Igor Basso
mande seu vídeo tocando #aprendinocifrasdeviola

Grave um vídeo tocando "Moenda da Usina", poste no Youtube e envie o link pra gente! Você aparecerá aqui mostrando seu talento.

Envie seu vídeo
o que achou da música?
Ver Resultados
Total de 3 votos.
Muito Fácil: 2 votos. (67%)
67%
Fácil: 1 votos. (33%)
33%
Médio: 0 votos. (0%)
0%
Difícil: 0 votos. (0%)
0%
Muito Difícil: 0 votos. (0%)
0%
comentários

Faltam caracteres

Obs: Seu comentario está sujeito à aprovação.

Alberto
2 meses atrás
Vi vocês no programa"Brasil caipira". Achei esta música maravilhosa. Parabéns a vocês.

Faltam caracteres

Ajude o CifrasdeViola a permanecer no ar:
Mostrar Acordes